Menu

Albion Online, o “Pay to Play” da Sandbox Interactive

Não, você não leu errado, e não foi a toa que coloquei entre aspas, neste caso é Pay to Play mesmo, quer saber o por quê? Eu já entro neste particular, mas primeiro deixa eu apresentar este maravilhoso MMORPG de mundo aberto para aqueles que ainda não o conhecem, pois este é um jogo que não pode ficar de fora para quem curte jogos sandbox.

Albion Online é um jogo excelente, principalmente para quem jogava e curtia jogos como Tíbia e Ultima Online. No entanto ele tem características próprias que o distinguem dos demais e faz dele uma excelente opção para sua biblioteca de jogos preferidos. Um dos pontos que mais se destaca é o sistema de classes ou no caso, a falta dele. Isto porque você nasce pelado, e durante todo o jogo sempre que tirar suas roupas e equipamentos você e qualquer outro jogador tem o mesmo nível e poder, ou seja, nenhum, pode até se atracar no soco com outro jogador mas vai vencer que bateu primeiro, desde que não erre nenhum soco depois. Com isso quero dizer que seu personagem não é um Guerreiro, um Healer ou um Arqueiro, ele é apenas o que você colocar de equipamento nele. Claro que os equipamentos sempre precisam começar de baixo, e isto é uma parte muito interessante do jogo pois é assim também na vida real. Você quer deixar de ser um guerreiro e entrar na área da magia, tudo bem, largue seu escudo, elmo, tudo e pegue livro de magia, comece a estudar ele, com magias simples e vai ficando cada vez melhor. E se um dia você decidir voltar a ser guerreiro, basta pegar sua armadura, pois assim como na vida real (ou quase isto) você não esquece como é que se luta se uma vez sabia. Então com o passar do tempo pode ter seu personagem como sendo um ótimo guerreiro e no instante seguinte ele pode ser um healer que cura muito. A mudança pode ser feita de tal forma que você pode até mesmo levar os apetrechos de mago (por exemplo) na sua bagagem, e vai jogando de guerreiro, e se a necessidade chama você corre para algum canto (para não te matarem pelado) e troca de equipamentos e pronto, lá está você como mago. Claro que se você focar em melhorar apenas uma determinada classe, treinando ela sem parar, chegará mais rapidamente aos níveis mais altos desta classe, mas aí é que está a graça, todas as decisões são suas, e você não precisa começar outro personagem do zero para testar e ver como é ser um arqueiro ou qualquer outra classe.

 

O sistema de crescimento é no formato de árvore de decisão, onde você poderá optar por desenvolver um caminho dentre vários possíveis, por exemplo, se você é um arqueiro, em um determinado ponto poderá decidir se aprimorar para usar besta, ou besta pesada. Cada arma tem seu próprio desenvolvimento. Aqui o seu mago pode ser de fogo ou de gelo sem problema, até mesmo as duas coisas. Você ainda tem diversas combinações para fazer no tocante ao tipo de armadura que vai usar, tanto na cabeça, no corpo ou pés. Pode usar uma armadura pesada e ser um mago, mas claro que será um mago terrível, pois as roupas leves tem bônus para magia, assim como as pesadas tem bônus contra dano no combate corpo a corpo.

 

O mundo tem por hora dois continentes e as áreas são divididas em áreas verdes (ninguém consegue atacar ninguém, nem que queira), amarelas (pode atacar mas ficará sujeito a algumas penalidades), vermelhas (pode atacar a vontade, ninguém é de ninguém), e preta (nessas é proibido até dizer o que acontece). Esta é outra característica muito legal pois permite aos jogadores novatos uma segurança no tocante ao seu crescimento inicial, sem correr riscos de te matarem e tomarem tudo que é teu. Claro que os melhores recursos (necessários para o seu crescimento) se encontram em zonas de conflito e por isto será muito importante você participar de uma Guilda que te ajude quando precisar ir em terras proibidas em troca de seu trabalho cuidando das fazendas, ou do crescimento dos animais, coisas que mesmo os iniciantes já conseguem fazer dentro de certas limitações.
Outro ponto muito interessante é o sistema de comercio que lembra bastante com o do jogo Eve Online, cada cidade pode fazer seu próprio preço, assim mercadores podem viver apenas de comprar produtos onde está barato e vender onde ele está caro. Alguns recursos podem ser retirados/cultivado/criados dentro de uma ilha própria, que somente você tem acesso (e todos os que você permitir o acesso). Esta é uma das maiores sacadas do jogo, pois desta maneira não há o problema de esgotar os terrenos, já que as ilhas são fora do mapa, não “gastando” terra do jogo (isto já se tornou um problema em alguns outros jogos).
Os combates são muito bem feitos, com gráficos simples mas bem acabados e animações adequadas ao que se pede. As perdas que ocorrem quando você perde um combate depende de qual área você está lutando, podendo apenas danificar sua armadura (que pode ser reparada), até perder tudo o que você tem, salvo tenha algum amigo que pegue o que você deixar no chão quando morrer, mas isso quase nunca acontece, pois geralmente quem pega o loot é o cara que te matou.
O servidor é único, então não tem aquele problema de não encontrar um amigo seu, mesmo que você esteja jogando no PC e ele no Mac ou até mesmo no celular, sim, porque o jogo roda liso mesmo em alguns celulares como o Asus 2 (não roda no Moto G nem adianta tentar). Claro que jogar no celular é mais para você coletar o que plantou, vender alguma coisa, colocar seus animais no curral, mas ir além disso já fica complicado por conta do tamanho da tela e dos dedos que acabam tapando parte do que você precisa ver, mas que roda tudo, isto roda.

 

O tal do Pay to Win
A cereja do bolo é que o jogo foi anunciado como Free To Play, com lançamento previsto para agosto de 2016. No entanto milhares de pessoas optaram por comprar o closed alfa, ou closed beta para já ir testando. No entanto o menor preço dentre os pacotes é o de 30 dólares (o mais caro de 100 dólares), e com o dólar ao valor que anda, o pessoal estava contando os dias para que chegasse a data do lançamento, a fim de poder curtir o jogo, no entanto para decepção geral da nação a empresa veio a público com uma informação fragmentada: O jogo seria lançado em agosto ainda como Pay to Win. Não disseram mais nada, se vai ser Free, e caso isto vá acontecer, quando será.
Não é o preço que incomoda mais, mas o fato de que a empresa divulgou que ele seria Free to Play deixando uma legião de fãs órfãos de pai e mãe agora. Além disso como pagar 100 reais  para um jogo sem ter ao menos uma versão demo ou trial para experimentar. É uma questão que a empresa segue sem informar pois até então o informado é que não haverá um open beta para que todos possam testar.

 

Vale a pena?
Sim, o jogo vale, é indiscutível. É uma excelente opção com diversos pontos fortes e atrativos, mesmo que seja apenas pago. No entanto deixa eu confessar que eu sempre fico com um pé atrás com as empresas que não demonstram a devida consideração pelo seu cliente, assim como está acontecendo com Albion neste momento. Quanta confiança podemos ter no futuro do jogo? É esperar para ver…

Live Gaming

Facebook Gaming Game Vision