Menu

Alex Boiret, da CD Projekt Red, fala sobre a nova expansão de The Witcher 3

The Witcher III: Wild Hunt não se contenta em ser um dos melhores jogos do ano passado. Não, não mesmo. A expansão, Blood and Wine, prevista para chegar ao Xbox One muito em breve, é tão espetacular e gigante, que o jogo invade 2016 como uma das grandes experiências do ano! O Blog do Xbox comprovou isso de perto jogando cerca de uma hora e meia (!) de Blood and Wine e conversando com Alex Boiret, quest designer dessa expansão espetacular. Se liga aí no bate papo!

Fale um pouco sobre a nova expansão do jogo, Blood and Wine, e o quão diferente ela é de Hearts of Stone.

Eu acho que a principal diferença é que em Blood and Wine, você viaja mais ao sul e automaticamente é transportado para um mundo de contos de fada, um lugar como a Disneylândia e isso talvez possa ser um choque. Há uma grande mudança de cenário, mas não é só como se as coisas fossem diferentes. As pessoas são diferentes, a cultura é diferente, tudo parece mais pacífico. É um lugar distante no sul, bem distante da guerra, as pessoas lá não se importam com o que acontece no norte. Você pode vê-los se divertindo muito com o festival do vinho.

the-witcher-3-wild-hunt-dlc-blood-and-wine-01

Culturalmente falando, tanto quanto em The Witcher 3, tudo é muito enraizado no folclore ocidental europeu, a cultura e tudo mais. Obviamente, matar é mais inspirado na cultura escandinava. Aqui nós voltamos ao básico das origens que todo mundo conhece, os contos de fada que todos conhecem, os cavaleiros da távola redonda, esse tipo de cavaleiro ocidental europeu, as damas, reis e princesas e, obviamente, misturando tudo com The Witcher 3. Tudo gira em torno de etiquetas, reverências, ser educado e Geralt detesta tudo isso – ele é um cara comum que não gosta de regras de etiqueta e não se sente à vontade com tudo isso. Ele até mesmo pode se perguntar “O que eu estou fazendo aqui?”, ele se sente mais à vontade lutando.

Tudo isso nos permitiu introduzir novos tipos de aventuras, de buscas e tudo. Também nos permitiu renovar o bestiário, então existem monstros que você está familiarizado, como também existem monstros completamente novos e apenas nesta terra, claro.

Sobre as criatura, eu lutei contra um vampiro e foi maravilhoso e ele era um velho amigo de Geralt. Em Hearts of Stone haviam várias personagens muito importantes. Em Blood and Wine nós teremos personagens com essa tamanha importância?

Bom, você mencionou o velho amigo. É definitivamente uma grande parte de Blood and Wine, muito importante para as missões principais. Em sua maioria, você encontrará novas pessoas, se você leu os livros, Geralt perde muitos amigos, então são novas pessoas mas talvez você veja alguns rostos familiares.

the-witcher-3-wild-hunt-dlc-blood-and-wine-02

Gerald menciona Dandelion, então eu acho que nós o veremos?

O seu palpite é tão bom quanto o meu!

Sobre as mecânicas de jogo, em Hearts of Stone nós vimos estes Runewords, que foi novo para Wild Hunt, e as novidades para essa nova expansão?

Você desbloqueia uma missão e depois disso, tem acesso ao painel da personagem, como uma árvore de habilidades. Lá você usa “mutant points” e ativa uma habilidade por vez. Tem algumas muito poderosas, como adicionar um efeito congelante em suas armas, enganar a morte, tornar-se um excelente atirador com a besta e por aí vai.

Pode comentar algo sobre as armadilhas? Eu amo as armadilhas mágicas.

Sim, eu acho que tem algo sobre as armadilhas mágicas. Basicamente, existe três ramificações nessa árvore de habilidades. São como as cores dos genes mutantes, cada um representa algo e depende muito do estilo que você joga. Como exemplo, se você joga mais agressivamente, terá um galho que vai servir mais pra você.

the-witcher-3-wild-hunt-dlc-blood-and-wine-03

Essa vai ser difícil: como é pra você dizer adeus ao Geralt pra você?

Ah, posso dizer que é amargamente doce. Geralt é uma grande parte das nossas vidas. Apesar de ser um personagem, você o trata como um amigo, pois o conhece a fundo. Trabalhamos com ele por muitos anos, então eu sinto como se estivesse me despedindo de um amigo que está partindo pra longe. Eu disse amargamente doce porque estamos ansiosos por coisas novas que estão por vir e nós queremos fazer coisas novas, não queremos chegar a fazer o The Witcher 35, então nós temos que dizer adeus. Nós fizemos Geralt passar por muita coisa. Gosto de pensar que ele terá um bom final, o que na verdade vai depender do jeito que você jogar!

Live Gaming

Facebook Gaming Game Vision